Sábado, 19 de Fevereiro de 2005

Sinalização proíbe entrada e permanência na Cascalheira

A prefeitura deve encerrar neste sábado (19), o trabalho de colocação de placas que alertam sobre a proibição de entrada e permanência na Cascalheira, região situada às margens do Rio Paraná. O trabalho de colocação das placas, que teve início na tarde desta sexta-feira (18), está sendo realizado por uma equipe de funcionários da secretaria de Meio Ambiente. O trabalho visa garantir a segurança e integridade física da população, uma vez que a área é considerada de grande risco para o lazer. O local é responsável por 30% dos afogamentos registrados pelo corpo de bombeiros na região de Três Lagoas. A região é freqüentada por centenas de pessoas aos finais de semana, e não oferece nenhuma infra-estrutura que garanta a segurança dos freqüentadores. ?A vida é um bem indisponível e colocá-la em risco é crime, segundo o Código Penal. Por isso, qualquer entrada ou permanência na área constitui, a partir de agora, crime. Os infratores que forem encontrados ali serão presos e processados?, disse o secretário de Meio Ambiente, Cristóvan Canela. Ao todo serão colocadas 8 placas, três nas entradas dos principais acessos ao local e cinco dentro da área. Nesta sexta-feira, Canela foi conferir pessoalmente o trabalho e informou que, com a instalação das placas, ?o decreto (045/2005), que estabelece a proibição, começa a ser efetivamente cumprido na parte formal?. Canela disse também que já enviou ofício às polícias Militar e Ambiental, que se comprometeram a ajudar a fazer valer a proibição. ?O comandante do batalhão confirmou que as polícias vão efetuar rondas na região e se alguém for pego desrespeitando o decreto, será penalizado?, disse o secretário. O secretário disse que estará lembrando a população da proibição através da mídia. ?Sempre que nos abrirem espaço, estaremos lembrando que o local está fechado?, disse.

Seja o primeiro a comentar

    Deixe seu Comentário