Com o intuito de visitar as obras do Hospital Regional de Três Lagoas e a linha dois de produção de celulose da Fibria, o prefeito Angelo Guerreiro recebeu no Aeroporto Municipal “Plínio Alarcon” o governado do Estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, nesta segunda-feira (26).

Após o desembarque, a comitiva, composta por Secretários de Estado, Secretários Municipais, Vereadores e outras autoridades locais e estaduais, seguiu para as obras do Hospital Regional que seguem em ritmo acelerado. “Estamos animados com o andamento da obra, sendo que a previsão é que termine no prazo e dê melhor qualidade de atendimento em saúde para a população de Três Lagoas e região. Além desse projeto, temos outros vários que estão sendo analisados pela Agência Estadual de Gestão de Empreendimento – Agesul que trarão diversas melhorias para a nossa Cidade”, comenta Angelo Guerreiro.

Reinaldo Azambuja, por sua vez, destacou a importância do Hospital para a região no atendimento médico de média e alta complexidade. “As obras estão no ritmo contratual e acreditamos que terminaremos no prazo, ainda mais que temos pressa em entregar a obra, já que mais do que ponto de referência em atendimento médico, servirá de hospital escola para os alunos do Curso de Medicina da UFMS”, afirma.

Ainda na obra, Reinaldo destacou que além dos R$ 54 milhões necessários para que a obra seja concluída sem nenhum problema, o Estado já tem recursos disponíveis para a compra de equipamentos e montagem da equipe administrativa, sendo que essa será amplamente discutida com o município, pois a gestão em saúde é municipalizada.

VISITA FIBRIA

O Governador, Prefeito, Vice-Prefeito e demais secretários estaduais e municipais foram os primeiros a visitarem o Projeto Horizonte 2 (H2), após o início das operações que ocorreram em agosto, que, por conta disso, perde o caráter de projeto e se transforma em Linha 2 da Fibria Três Lagoas – MS.

Júlio Cunha, que é diretor de Engenharia e Projetos da Fibria, lembrou que há quase dois anos foi lançado o H2. “No ano passado, durante uma visita do governador, ele pediu que conseguíssemos concluir até outubro de 2017 em comemoração aos 40 anos de criação do Estado de MS; fomos além e conseguimos entrar em operação em agosto, isso mostra a nossa competência e vontade de crescer”, comenta.

Já o prefeito Angelo Guerreiro destacou que “sempre teve diálogo aberto com a Fibria e isso possibilitou diversas parcerias em projetos que beneficiaram a comunidade local. Três Lagoas tem apenas a ganhar com a ampliação e crescimento da empresa, sendo que a Fibria é uma das responsáveis pela maior parcela do PIB do município, além ainda de corresponder por 24% do nosso Distrito Industrial”, diz.

Reinaldo enfatiza que o MS agradece, pois cresce junto da iniciativa privada e colabora no reconhecimento do Estado como o quinto mais competitivo do Brasil. “A empresa não colabora apenas na geração de emprego e na economia, mas também no social, tendo olhos sobre a comunidade local. Há 15 anos, o Estado era basicamente soja e gado, e hoje o contexto sócio econômico mudou por completo”, disse o governador que destacou ainda, em tom de brincadeira, que aguarda o início do Projeto Horizonte 3, “pois o Estado e Três Lagoas oferecem condições para isso”, finaliza.

Já o presidente da Fibria, Marcelo Castelli, inicia a sua fala agradecendo a todos que os acolheram desde 2006, quando a fábrica começou a ser instalada. “Encontramos um terreno fértil de boa vontade, boas ideias e ideais, isso foi o que tornou possível esse crescimento. Somos sul-mato-grossenses e levamos a bandeira do Estado de MS para o Brasil e o mundo”, lembra.

Castelli, em tom de comemoração, comenta que “no momento dessa cerimonia o primeiro fardo de celulose produzido pela nova linha acaba de ser embarcado em um navio no Porto de Santo para ganhar o mundo”.

Licença ambiental

Após as falas das autoridades, foi feita a entrega formal da licença de operação da Linha 2, na qual participou o secretário de estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Elias Verruck; o governador Reinaldo Azambuja; presidente da Fibria, Marcelo Castelli; o gerente Geral da Unidade de Mato Grosso do Sul, Maurício Miranda e o prefeito Angelo Guerreiro.

Ainda na fábrica, a comitiva, acompanhada de técnicos, engenheiros e empresários da Fibria, visitou o novo viveiro de mudas da empresa que, além de ter ampliado o número de clones de eucalipto, agora conta com alta tecnologia e automatização no processo de escolha dos brotos, criação da muda, seleção, crescimento e, finalmente, plantio no campo.

As autoridades tiveram a oportunidade, ainda, de visitar todo o complexo da Linha 2 conhecendo desde a extração do eucalipto até o produto final que são as placas de celulose seca que são embaladas e armazenadas para o transporte ao porto de Santos e, daí, seguem para diversos locais do globo como Europa, Ásia e América do Norte.