Onça-parda que ficou 30 horas em árvore é devolvida em região de mata em Dourados, MS

Veterinário diz que mais de mil pessoas acompanharam resgate e animal, assustado, poderia ter atacado por conta de um reflexo instintivo.

Quinta-feira, 01 de Fevereiro de 2018

A onça-parda, capturada após 2 dias de refúgio em em um bairro de Dourados, na região sul do estado, já foi devolvida a seu habitat natural. A soltura ocorreu em uma mata na tarde dessa quarta-feira (31), após exames de veterinários do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul). Foram cerca de 30 horas para capturar o felino.

Um dos profissionais, Lucas Casati, afirmou em entrevista que o comportamento da população foi preocupante, já que mais de mil pessoas estiveram no local para acompanhar o resgate. Com o animal assustado, ele ressaltou que a onça poderia ter atacado as pessoas, por conta de um reflexo instintivo.

Conforme o Imasul, o trabalho demorou porque os tranquilizantes não penetraram por tempo suficiente. Foram disparados ao todo quatro. Ao final, por volta das 13h (de MS), o animal despencou e policiais ampararam a queda com uma rede. A onça, no entanto, recobrou a consciência e tentou atacar, obrigando os técnicos a usarem mais tranquilizantes.

A onça foi levada para o Hospital Veterinário da Unigran, passou por exames clínicos e teve um pequeno ferimento na perna suturado. Era um macho com idade entre 3 a 4 anos e pesava cerca de 60 quilos. Os machos dessa espécie chegam a pesar 72 quilos e podem viver 19 anos.

Ao todo vivem 10 onças pardas no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras), que chegaram lá filhotes e acabaram domesticadas demais, sem chances de retornar a viver na natureza.

Fonte: G1.com.br