Na contramão do desempenho nacional e após dois anos de mais demissões do que contratações em janeiro, Mato Grosso do Sul fechou o primeiro mês de 2017 com saldo positivo de 871 novas vagas no mercado formal de trabalho.

Foram contratadas 20.510 pessoas em janeiro de 2017 e desligadas 19.639. Foi o sexto melhor resultado em geração de egmpregos do país.

A recuperação veio após dois anos de resultados negativos para o mês. Em janeiro do ano passado, Mato Grosso do Sul havia perdido 163 vagas no mercado de trabalho. Em 2015, o resultado para o mês foi ainda pior, com a extinção de 1.270 empregos no estado.

O resultado positivo alcançado agora se repetiu em quase todos os setores. A única exceção ficou por conta do comércio, que desligou os funcionários contratados para as vendas de fim de ano, com uma redução de 492 vagas.

Por outro lado, os melhores desempenhos ficaram por conta da construção civil (370 novas vagas), setor de Serviços (344) e Indústria da Transformação (340).

A agropecuária criou 206 vagas no mercado de trabalho formal e os serviços industriais de utilidade pública, 95. Os setores extrativa mineral e a administração pública tiveram mudanças pouco significativas.

Municípios\n\tEm Campo Grande, 8.059 pessoas foram contratadas no primeiro mês de 2017. Excluindo demitidos e demissionários, a capital sul-mato-grossense fechou o mês com geração de 170 vagas no mercado de trabalho formal.

Já Três Lagoas, na divisa com o estado de São Paulo, começou o ano com resultados ainda melhores: 2.106 contratações e 357 novos empregos gerados. A cidade é uma das mais industrializadas de Mato Grosso do Sul e conta com algumas das maiores indústrias de papel e celulose do mundo.

Fonte: G1.com.br