PUBLICIDADE

Mato Grosso do Sul é destaque entre os exportadores de carne

Estado foi responsável por 10% do volume nacional no mês de fevereiro

Segunda-feira, 12 de Março de 2018

Mato Grosso do Sul está entre os estados que mais exportaram carne bovina in natura e processada no país, em fevereiro, contribuindo com10% do volume movimentado. No Brasil, as exportações totais de carne bovina cresceram 21% em volume na comparação com o mesmo mês de 2017, passando de 99.569 toneladas para 120.654 toneladas. Em receita, o crescimento foi de 22%, saindo de US$ 394,5 milhões para US$ 482,4 milhões. As informações são da Abrafrigo (Associação Brasileira de Frigoríficos).


No acumulado do ano, o crescimento é de 18% em volume e de 23% na receita, com um total de 244.364 toneladas exportadas e receita de US$ 1 bilhão. Estes resultados foram obtidos mesmo com a ausência da Rússia, que, em dezembro do ano passado, embargou o produto brasileiro e foi um dos principais clientes do país em 2017. Os estados que mais movimentaram a carne bovina in natura e processada no país foram São Paulo (25%), Mato Grosso (18%), Goiás (14%), Mato Grosso do Sul (10%) e Rondônia (9,6%).

Para a Abrafrigo, estes números são um bom prognóstico para o comportamento do setor exportador de carne bovina em 2018, quando se espera um crescimento na movimentação e na receita por volta de 10%, com a volta de clientes tradicionais como os russos e abertura de novos mercados na Ásia. Esta evolução continua sendo ditada pelas compras chinesas. A cidade-estado de Hong Kong – uma das portas de entrada do produto brasileiro naquele país – elevou suas importações em fevereiro em 72% e o continente em 31%.

No total, foram 117.006 toneladas exportadas para aquele mercado, que responde por quase 40% das exportações brasileiras. O Egito voltou fortemente a comprar do Brasil e adquiriu 28.327 toneladas, contra 10.573 toneladas em fevereiro de 2017, crescimento de 167,9%. Outro aumento importante foi observado nas importações dos países da União Europeia, sendo eles Alemanha (+ 92,5%), Países Baixos (+35%), Itália (+29%), Espanha (+75%) e Reino Unido (+11%).

O Chile também incrementou suas importações em 68%. No total, 66 países aumentaram suas importações enquanto que outros 50 reduziram. A queda mais significativa foi a da Rússia, que, em 2017, adquiriu 22.830 toneladas no mês de fevereiro e em 2018 quase zerou sua movimentação. (Com assessoria)

Fonte: O Estado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE